Carreira Notícias

Entrar na faculdade: 6 dúvidas comuns sobre carreira

entrar na faculdade - dúvidas comuns

 

Entrar na faculdade é uma decisão que gera diversas dúvidas, o que é comum pela ideia de precisar decidir o futuro. Mas você sabia que pode passar por esta fase de uma forma mais leve e sem se cobrar tanto? 

Para ajudar nesta etapa, selecionamos dicas importantes para as dúvidas mais comuns e que costumam assombrar os vestibulandos. 

Vamos conferir?

1. Será que escolhi o curso certo? 

Boa  parte das dúvidas em relação ao curso escolhido na faculdade surgem pela confusão entre os conceitos de carreira e profissão

Quando você entra no Ensino Superior, escolhe uma profissão: engenheiro (a), psicólogo (a), advogado (a), etc. Essa profissão está ligada a sua escolha de curso, porém, é apenas um dos caminhos para seguir. 

Muitos profissionais acabam não exercendo a profissão porque escolheram trilhar outros caminhos na carreira. Sim, carreira é o que você decide fazer com o conhecimento adquirido na faculdade. 

Por exemplo: você pode ter se formado em Psicologia e decidir trabalhar para uma grande empresa no setor de Recrutamento e Seleção. Ainda, você pode ter feito direito, mas nunca ter exercido a sua profissão como advogado porque decidiu trabalhar no serviço público. 

Você percebe a diferença? Pensando desta forma você pode aliviar um pouco o peso de ter que escolher tão cedo uma profissão. Lembre-se que ao entrar na faculdade você terá oportunidades de testar diversos caminhos. O importante é aproveitar ao máximo tudo que o curso pode oferecer. 

2. Será que consigo entrar na faculdade e trabalhar ao mesmo tempo? 

Se dividir entre várias coisas ao mesmo tempo não é fácil. A rotina de quem trabalha e estuda é apertada, afinal, ainda precisa sobrar tempo para a família e para a vida pessoal. 

Quem decide fazer faculdade, mas não tem a opção de apenas estudar, precisa encarar essa jornada. A dica é ter um objetivo muito claro para não perder a motivação com o tempo. 

Pense como você se imagina daqui 3 a 5 anos e faça planos considerando tudo que precisa para alcançar esse objetivo. Comece pela sua meta de carreira e veja como o seu esforço passa a ter um sentido. 

3. E se a teoria for muito diferente da prática?

Teoria e prática se complementam dentro de um curso superior. Por isso, buscar experiências práticas para aplicar o que é visto em sala de aula é tão importante. E quanto mais cedo você fizer isso, mais chances tem de construir uma carreira de sucesso. 

Quando estamos no mercado de trabalho, o nosso conhecimento técnico não é aplicado de forma isolada. A todo instante precisamos utilizar também nossas competências comportamentais como criatividade, capacidade de resolução de problemas, comunicação entre outras. 

Por essa razão, buscar estágios, empresas juniores e a participação em projetos pode ser uma boa escolha para desenvolver competências técnicas e comportamentais (também conhecidas como soft skills). Com isso, você aumenta as chances de se adaptar às exigências do mercado de trabalho. 

Depois de escolher a sua meta de carreira, identifique as competências que você já tem e aquelas que precisa desenvolver. 

4. Devo fazer o que gosto ou o que dá dinheiro?

A escolha da profissão é algo muito particular e os motivos que levam a essa escolha devem fazer sentido para quem vai entrar na faculdade. 

Desenvolver o autoconhecimento e analisar uma série de fatores pode evitar uma escolha equivocada, principalmente quando se trata da primeira faculdade. Mas lembre-se sempre, escolher profissão não é escolher uma carreira.

É no trabalho que passamos a maior parte do nosso tempo. Por isso, fazer a sua escolha de carreira pensando apenas no lado financeiro pode criar uma sobrecarga que pode interferir inclusive no seu desempenho. 

Já por outro lado, é claro que observar as possibilidades no mercado também é algo fundamental. Por isso, converse com profissionais que já atuam na área e tenha curiosidade para saber da trajetória de pessoas que você admira. Além disso, dentro das suas expectativas, busque opções nas quais o conhecimento gerado pela sua profissão possa ser aproveitado. 

5. Como lidar com a opinião das outras pessoas 

No outro tópico falamos como a escolha da profissão é algo pessoal. Contudo, isso não impede que as pessoas ofereçam seus palpites na intenção de ajudar. 

Entrar na faculdade para agradar os pais ou qualquer outra pessoa pode ter um custo caro mais adiante. É preciso entender o seu perfil, aquilo em que você se sente bem fazendo ou as situações nas quais você não se imagina. Assim, fica mais fácil discernir o que realmente cabe na sua escolha. 

Escutar a experiência dos outros é sempre válido. Contudo, saiba que ainda que os caminhos sejam semelhantes, cada um realiza o trajeto de forma única. 

Aproveite para absorver aprendizados. No entanto, se você se sentir muito perdido ou pressionado, talvez o ideal seja buscar auxílio profissional. Na CMOV, por exemplo, auxiliamos quem busca se encontrar profissionalmente. Por meio de ferramentas adequadas, é dado um suporte que passa por diversas áreas, inclusive, pela descoberta das competências prioritárias e da definição do seu perfil profissional. 

Já se você estiver tentando ajudar alguém nesta etapa, não deixe de ler nosso artigo com dicas sobre o papel dos pais na escolha da profissão dos filhos

6. Não tenho interesse por nada. E agora? 

Todo mundo tem capacidade de desenvolver competências. Você entra em pânico na hora de decidir o curso porque não consegue se identificar com nenhuma área? Talvez seja a hora de parar para se conhecer melhor. 

Faça uma lista das coisas que se sente bem fazendo e outra daquelas que te deixam desconfortáveis. Tente avalizar o que elas têm em comum e procure descobrir funções com essas características. Tente identificar pessoas que fazem coisas que você também gostaria de estar fazendo, mas lembre-se, quando olhar para essas pessoas “hoje”, pense na trajetória que elas tiveram que fazer para chegar onde estão. E se você seria feliz fazendo esse percurso.

Então, leia, pesquise e converse com pessoas que atuam nas áreas de interesse. O LinkedIn é uma excelente plataforma para descobrir o que as pessoas fazem profissionalmente. Siga perfis ativos e veja se você se identifica com os assuntos da área. 

Como a CMOV pode ajudar?

A CMOV é uma plataforma de carreira pensada para auxiliar pessoas que estão entrando ou que buscam novos rumos no mercado de trabalho. 

Reunimos diversos testes e dicas voltadas para diferentes perfis profissionais. Com isso, você pode ter uma ferramenta personalizada que trabalha diferentes momentos, desde a descoberta da carreira até as melhores  formas de conquistar uma vaga. 

Na CMOV, desenvolvemos o método 6C que trabalha as seguintes etapas:

  • Carreira: para alcançar sucesso na carreira, você precisa de uma meta. Vamos mostrar como traçar sua.
  • Competência: além das competências técnicas, você deve também precisa desenvolver as comportamentais, que são hoje as mais exigidas pelo mercado de trabalho.
  • Capacitação: com a meta de carreira definida, será necessário se preparar para chegar onde deseja. Nós também ajudamos nesta etapa. 
  • Currículo: quando finalmente chega o momento de você construir um currículo matador. É a hora de mostrar que você merece participar do processo seletivo.
  • Conexão: o mercado é dinâmico e formado por pessoas. Os contatos que você fizer te orientarão e ajudarão a chegar onde deseja.
  • Comunicação: orientamos sobre como fazer uma boa entrevista e alcançar um objetivo profissional.

Já ajudamos muitos alunos na escolha de carreira e agora pode ser a sua vez!

Leia também

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Não vá ainda :)

Conheça em primeira mão os nossos artigos sobre carreira, mercado de trabalho e sucesso profissional! 
EU QUERO
Ao continuar, você está concordando com a nossa política de privacidade
close-link