Competências Notícias

Como o trabalho voluntário ajuda a desenvolver competências comportamentais

Voluntariado

O trabalho voluntário é uma prática que busca ajudar pessoas de forma espontânea e genuína. Há algum tempo essas atividades também passaram a integrar o currículo e serem consideradas em processos de recrutamento. Mas você sabe os motivos pelos quais o voluntariado pode contar pontos em uma seleção no mercado de trabalho?

Simultaneamente, o trabalho voluntário acaba gerando mudanças positivas para ambas as partes. Se ganha quem recebe — em contrapartida, aquele que se dedica a ajudar também encontra formas de crescimento.

Começa com o ganho de maturidade e passa para o desenvolvimento de habilidades, conhecimentos e atitudes. Em suma, essas características formam o que chamamos de competências comportamentais. Desenvolver suas características pessoais e sociais garantem uma maior realização pessoal. Ter competências comportamentais bem desenvolvidas, são fatores decisivos nas contratações, principalmente na dinâmica do mercado de trabalho atual.

Vamos então descobrir como um trabalho voluntário pode ajudar no desenvolvimento das suas competências comportamentais?

Por onde começar?

Existem muitas áreas nas quais você pode ser voluntário. Da mesma forma, entidades que podem te ajudar a descobrir a atividade ideal de acordo com o seu perfil.

Se você estiver na faculdade, pode procurar um projeto dentro do seu curso. Aliás, pode ser uma monitoria, algum setor em uma empresa ou programas de extensão que geram impacto direto na comunidade. Um exemplo é o atendimento judiciário gratuito prestado por universidades. Desse modo, ao passo em que entram em contato com casos reais, os alunos conseguem aprender de forma prática. O atendimento psicológico dentro das faculdades de psicologia para pessoas de baixa renda é um outro exemplo dentre inúmeros existentes.

Para quem quiser ir mais longe, existem também organizações que dão suporte para quem busca trabalho voluntário em outros países. Em princípio, sempre que possível os intercambistas são convidados a atuarem dentro das respectivas áreas de interesse. Por exemplo, um professor de inglês pode desenvolver trabalhos ensinando o idioma. Similarmente, alguém que trabalha com comunicação pode passar um tempo auxiliando na assessoria de organizações não governamentais (ONGs).

Como desenvolver as competências comportamentais necessárias?

Primeiramente você precisa identificar quais as competências comportamentais são mais necessárias na sua área de interesse. Busque tarefas que desafiem nesse sentido. A liderança, relacionamento interpessoal e comunicação assertiva são alguns exemplos dessas competências identificadas como diferenciais nos processos seletivos.

Entretanto, vale destacar aqui que a ideia de mostrar que você pode desenvolver competências comportamentais por meio do voluntariado não é tirar a essência dessa atividade. Muito pelo contrário, o intuito é que você possa se desenvolver, aprimorar seus conhecimentos e contribuir da melhor forma para o desenvolvimento em sociedade.

7 competências comportamentais que podem ser desenvolvidas no trabalho voluntário

É provável que agora estejam mais claros os motivos pelos quais as atividades voluntárias são importantes para desenvolver as competências comportamentais, também chamadas de soft skills, certo? Confira então uma lista de 10 exemplos dessas habilidades que podem ser desenvolvidas por meio do trabalho voluntário.

1. Liderança

Durante um trabalho voluntário você tem a possibilidade de sugerir novas ideias e coordenar alguma atividade ou projeto. Participar ativamente das atividades da sua escolha e motivar outras pessoas para esse mesmo objetivo. Dessa forma, você pode desenvolver soft skills de liderança.

2. Capacidade de execução

Muitas pessoas começam algo, mas logo desistem deixando uma série de trabalhos inacabados ao longo do caminho. Planejar algo gera empolgação, mas se você desenvolve a habilidade de executar as atividades que se propõe a fazer, certamente ganha o sentimento de dever cumprido e consegue mensurar resultados atingidos.

3. Capacidade de trabalhar em grupo

fazer trabalho voluntário

Quando você decide fazer um trabalho voluntário já começa a trabalhar uma competência comportamental que é a capacidade de trabalhar em grupo. Dificilmente o voluntário irá atuar sozinho e ele vai gerar impacto não apenas em uma pessoa. Portanto, terá que se unir a uma equipe, lidar com diferenças, dividir ideias e decisões.

4. Criatividade e Inovação

Seja pela escassez de recursos ou pela busca de soluções inovadoras para resolver um problema, certamente o voluntário precisa utilizar a criatividade. Esta competência é bastante valorizada nas empresas, pois demonstra o perfil de um profissional diferenciado e inovador.

5. Flexibilidade e Adaptabilidade

A capacidade de se adaptar a mudanças e diferentes contextos fazem parte da rotina do voluntariado. É provável que a equipe tenha mudanças frequentes pela rotatividade, por exemplo. Inegavelmente, é importante destacar que a própria realidade encontrada pode ser muito diferente daquela vivida pelo voluntário. Com um mercado de trabalho cada vez mais dinâmico, um profissional flexível e com grande capacidade de adaptação é extremamente fundamental.

6. Autodesenvolvimento e autogestão

Fazer um serviço voluntário é uma forma de se manter proativo. Assim sendo, ajuda a construir a ideia de um profissional que está sempre em busca de novos desafios e de formas para o autodesenvolvimento. Também é uma maneira de se manter motivado para conquistar objetivos profissionais.

Para isso, é preciso gerenciar bem o tempo, pois sabemos que tanto o voluntariado quanto cursos de capacitação, por exemplo, dividem espaço com outras atividades como estudo ou trabalho.

7. Pensamento crítico e resolução do problema

Essa é uma das principais características requisitadas nas empresas. Demonstra a habilidade de identificar as causas de um problema e, dessa forma, buscar soluções para possíveis pontos de conflitos e dificuldades futuras.

A dedicação ao trabalho voluntário é perfeita para desenvolver esta competência uma vez que o indivíduo é colocado frente a frente com situações que exigem um pensamento crítico.

Trabalho voluntário: hora de colocar em prática

Enfim, depois destes passos, que tal colocar em prática os seus planos de começar um trabalho voluntário? Certamente você pode iniciar dedicando alguns dias ou até mesmo algumas horas na semana ou no mês. Em princípio, pense nas atividades que gostaria de participar.

Para ajudar nesse processo, temos uma última dica. Neste link temos um teste que você pode fazer com o intuito de descobrir quais competências comportamentais precisa trabalhar de acordo com o seu perfil profissional. Além disso, também contará com sugestões de ações para desenvolvimento.

Uma vez que você sabe exatamente quais competências precisa desenvolver, você terá elementos estratégicos para se destacar na carreira.

Leia também

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Não vá ainda :)

Conheça em primeira mão os nossos artigos sobre carreira, mercado de trabalho e sucesso profissional! 
EU QUERO
Ao continuar, você está concordando com a nossa política de privacidade
close-link