Aprenda a nova modalidade do mercado: vídeos para processos seletivos

A solicitação de vídeos para processos seletivos é uma prática que está em constante crescimento. No entanto, ela segue sendo uma das etapas mais temidas pelos candidatos.

Muitas pessoas, inclusive, desistem de seguir no processo seletivo exatamente quando batem de frente com essa fase específica.

Por que isso acontece? Como fazer pra me sair bem?

Nesse artigo você vai entender por que não precisa temer essa fase e vai aprender a criar o seu vídeo para processos seletivos.

Por que as organizações estão investindo em vídeos para processos seletivos

Inicialmente, os vídeos de apresentação profissional eram requeridos como um teste para avaliar comunicação, objetividade e criatividade.

No entanto, graças à facilidade de acesso à tecnologia, necessidade de tornar o processo seletivo mais ágil, além de entender e conhecer mais os candidatos, os recrutadores passaram a incluir o envio de vídeos como uma das etapas do processos seletivo da sua empresa.

Ele permite que o recrutador – ou próprio gestor da vaga -, possa assistir os vídeos, avaliar e selecionar candidatos a qualquer momento do dia, sem a necessidade de deslocamentos, reservas de salas e tempo desperdiçado. Permitindo inclusive, para todos os envolvidos, redução de custo no processo seletivo.

Dessa forma, os vídeos têm sido grandes aliados das organizações. Eles são utilizados pelos recrutadores como uma das formas de avaliação comportamental. Isso porque as empresas querem ficar mais próximas dos seus futuros colaboradores e entender as suas motivações.

E por que eu não preciso ter medo?

Você não precisa ter medo dessa etapa porque ela é, simplesmente, uma forma incrível de você mostrar o seu potencial e falar sobre as suas qualidades.

Além disso, você já parou pra pensar que estamos falando de um vídeo? Sim, aquela coisa que você grava com o celular e que você pode regravar mil vezes, se necessário, caso cometa erros.

Isso quer dizer que o recrutador está te dando uma oportunidade valiosa de você mostrar quem você é. E se você se preparar direitinho, como vamos ensinar no decorrer no artigo, você vai tirar isso tudo de letra. Veja essa etapa como uma chance de se mostrar interessante!

Conheça dois tipos de vídeos para processos seletivos

Existem, basicamente, dois tipos de vídeos para processos seletivos: o vídeo desafio e o vídeo de apresentação profissional.

Vídeo desafio

O vídeo desafio consiste no envio de uma pergunta ao candidato, que deve pautar a gravação na construção de uma resposta.

As perguntas costumam apresentar um cenário em que está acontecendo algum problema e o candidato precisa encontrar uma solução. O que o recrutador procura avaliar, com esse formato, são quais saídas o candidato encontra para resolver o problema apresentado, seu nível de criatividade e como ele lida com certo tipo de situação.

Já deu pra perceber que estamos falando de análise das competências comportamentais, né?

Vídeo de apresentação profissional

Na mesma linha, o vídeo de apresentação profissional busca entender sua trajetória, motivações e avaliar suas competências comportamentais.

Entenda que, num ambiente de competição acirrada – como é com a inserção no mercado de trabalho – quanto mais a empresa conseguir saber de você, melhor para ela. E se você souber aproveitar essa oportunidade, fazendo um vídeo certeiro, vai ser melhor pra você também!

Então… Por onde eu começo?

Pesquise sobre a empresa

A primeira coisa que você precisa fazer é pesquisar sobre a empresa. Independente do tipo de vídeo solicitado, é muito importante que você tenha em mente a sua cultura organizacional, porque você vai entender se seus valores e crenças então em linha com os da empresa.

Pesquisa feita, é hora de criar um roteiro

Sim! Imagine que você é o diretor do seu próprio “filme” – e é mesmo! – e escreva o que você vai falar num papel de forma simples e objetiva. Faça tudo caber entre 1 e 2 minutos.

Se a empresa enviou um desafio, a estrutura do seu vídeo vai ser simples: comece com seu nome, idade, graduação e faculdade, e depois desenvolva “solução” do problema apresentado.

Se o recrutador não direcionou o que você precisa dizer, saiba que existem alguns formatos bem aceitos pelo mercado. Vamos ver agora o passo a passo de um deles.

Comece dando suas informações pessoais

Comece o seu vídeo dando essas quatro informações: nome, idade, curso de graduação e instituição.

Por exemplo, “Oi, meu nome é Marina, tenho 25 anos e eu faço Administração na UFRJ”.

Fale sobre as suas experiências

Atenção! Entenda que experiência é vivência. Não precisa entrar e desespero se você não possuir experiências profissionais. O recrutador quer saber sobre atividades extracurriculares, projetos desenvolvidos dentro e fora da faculdade, projetos voluntários, viagens para aprender outro idioma, estágios, etc.

Escolha dois momentos bacanas e conte rapidamente sobre eles. Lembre-se de falar sobre aspectos como por que você se envolveu com essa atividade e o que você aprendeu com ela. Ah, e é melhor que você conte sobre alguma coisa que tenha a ver com a vaga à qual você está se candidatando!

Siga uma ordem cronológica

Falar sobre os acontecimentos na ordem em que eles aconteceram na sua vida é uma forma bem didática de explicar as coisas.

Isso pode te ajudar muito na hora de contar sobre você e de fazer o recrutador entender também. Além disso, saber explicar pode mostrar que você sabe se comunicar bem – e o mercado de trabalho valoriza sempre uma boa comunicação.

Fale sobre as suas transições

Aconteceram mudanças pelo seu caminho? Que bom! É absolutamente normal e falar sobre elas pode ser realmente interessante.

Os recrutadores adoram saber sobre como você lida com as mudanças. Então, se você, por exemplo, quis trocar de curso, teve que trancar a faculdade, saiu de um estágio pra outro ou algo do tipo, fale sobre isso.

Conte os motivos das tomadas de decisão, o que você precisou fazer para decidir mudar de rumo e qual foi a decisão escolhida.

Enfim, diga por que está se candidatando para a vaga

Nesse momento, saia do previsível: não diga que você está concorrendo à vaga porque quer muito trabalhar naquela empresa, porque espera aprender, porque a empresa é incrível… Isso ela já sabe. Você está tendo uma oportunidade incrível de fazer diferente e se mostrar interessante. Fazer o que todo mundo faz não é ser interessante.

Tente relacionar o desejo pela vaga com as coisas que você comentou no vídeo anteriormente e coloque uma direção no seu caminho. Para isso, pense na vaga e na cultura da empresa. O que você, como uma pessoa que viveu isso, isso e aquilo, pode oferecer para a empresa XXX através do cargo XXX? Pense!

Roteiro pronto, qual é o próximo passo?

Depois de escrever, você precisa gravar! E, atenção! Essas informações valem para os dois tipos de vídeos: desafio e apresentação!

Vamos ver agora alguns aspectos técnicos da gravação.

A escolha do ambiente

Talvez o maior ponto aqui seja: o ambiente precisa ser silencioso. Não tem nada pior do que falar com alguém ou assistir a um vídeo em que tenha, ao fundo, muitos ruídos. Por isso, prefira gravar em um lugar onde você não seja incomodado e que não tenha interferências externas. Obs: cachorros são fofinhos, mas nada de deixar eles aparecerem na filmagem, hein!

A segunda coisa que você precisa atentar é: escolha um ambiente organizado. Se você não tiver um cenário maneiro, use a velha e boa parede branca.

Que roupa usar?

Como você se vestiria se estivesse indo fazer uma entrevista presencial? Os vídeos para processos seletivos demandam o mesmo modo de vestir. Dessa forma, depois de pesquisar sobre a cultura da empresa, entenda qual seria a roupa ideal e invista nela.

Formato dos vídeos para processos seletivos

Priorize apoiar o celular em algum lugar para evitar que a filmagem fique em movimento. Assim é bom também porque você consegue deixar suas mãos livres para fazer alguns gestos enquanto estiver falando.

E se a empresa não der informação sobre a posição do vídeo, prefira gravar na horizontal.

Algumas dicas comportamentais

O comportamento diante da câmera pode falar muito sobre você e sobre as suas intenções. Assim, quando estiver gravando, imagine que você está conversando com alguém e reproduza alguns gestos.

Além disso, é importante que você sorria. Não fique olhando para baixo e nem para os lados. Olhe para a câmera e mostre-se animado! Lembre-se de que você está tendo uma oportunidade de se mostrar interessante!

Enfim… Pronto! Você aprendeu como criar vídeos para processos seletivos. Esperamos que você tenha gostado e anotado todas as dicas que colocamos no decorrer no artigo.

E se você já desistiu alguma vez de alguma vaga porque precisava anexar um vídeo desafio ou vídeo de apresentação profissional, essa pode ter sido a última vez! Agora você já sabe como fazer o seu 😉

Você pode gostar também